Novo RG substitui 13 documentos.

#PraTodosVerem: Na imagem mostra detalhes do novo RG, na imagem são destacados como itens de segurança e as novidades do documento. Fim da descrição. Foto: Internet/Divulgação.


O novo RG (Carteira de Identidade) já está disponível em 12 estados, e em alguns deles o novo documento é emitido de forma gratuita.

inclui dados como o tipo de deficiência e já está disponível em 12 estados


O que pode ser colocado no novo RG?

Podem ser incluídos os números de vários outros documentos. Além do CPF, é possível adicionar os dados de NIS/PIS/PASEP, bem como o título de eleitor, carteira de trabalho, certificado de serviço militar, Carteira Nacional de Habilitação (CNH), cartão nacional de saúde, tipo sanguíneo e deficiência (se tiver). Para isso, basta apresentar os originais no momento da solicitação e pedir sua inclusão.

Além disso, os cidadãos também podem usar seu nome social, sem a necessidade de alteração no registro civil. De acordo com o Governo, a inclusão desses dados é facultativa. Os RG´s atuais continuam a valer — então, não é necessário correr para adotar o novo modelo. Quem quiser trocar, no entanto, deve marcar um horário para atendimento, o que pode ser feito pela internet.

Lista de documentos que podem ser inseridos no novo RG:

Título de EleitorCarteira de TrabalhoCertificado MilitarCarteira Nacional de Habilitação – CNHCertidão de Nascimento ou CasamentoCPFDocumento de Identidade ProfissionalDocumento Nacional de Identificação (DNI)Carteira Nacional de SaúdeNISPIS/PasepTipo sanguíneoFator RH (tipo sanguíneo)Tipo de deficiência

Onde posso fazer o novo RG?

O novo RG já pode ser emitido nos estados de Goiás, Pernambuco, Distrito Federal, Mato Grosso, Acre, Maranhão, Ceará, Rio de Janeiro, Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo.

Já estados como Alagoas (AL), Amapá (AP), Amazonas (AM), Bahia (BA), Espírito Santo (ES), Mato Grosso do Sul (MS), Minas Gerais (MG), Pará (PA), Paraíba (PB), Piauí (PI), Rio Grande do Norte (RN), Rondônia (RO), Roraima (RR), Sergipe (SE) e Tocantins (TO) deverão implantar o novo modelo até março de 2020. Esse é prazo final determinado pelo decreto 9.278, da Presidência da República.


Fonte: Deficiência em Foco

0 visualização