O 1° hospital no RJ a usar pele de tilápia para tratar queimadura é o Souza Aguiar

Atualizado: Jan 12


A unidade é a primeira do estado a realizar o tratamento, que também é feito no Ceará. O material biológico, pele do peixe tilápia, começa a ser usado também em cirurgias ginecológicas no Centro de Atenção Integral à Saúde da Mulher da Universidade Estadual de Campinas (Caism-Unicamp)



O Souza Aguiar é um dos hospitais brasileiros que participam da parte clínica do estudo, desenvolvido desde 2014 pelo Núcleo de Pesquisa e Desenvolvimento de Medicamentos da UFC, dentro das normas do Conselho Nacional de Ética em Pesquisa.

Pele de Tilápia para tratar queimaduras é um método criado no Brasil


Uma técnica simples, barata e menos dolorosa para o tratamento de queimaduras de segundo e terceiros graus.


O método oferece inúmeros benefícios em relação a outros tratamentos. Como permanece sobre a queimadura durante vários dias, em função da gravidade do ferimento, a pele do peixe evita as dores que resultam na necessidade da troca do curativo.


A tilápia funciona como um curativo biológico. Isso faz com que haja uma redução tremenda no risco de infecção, mas sobretudo uma grande redução da dor que é bem característica no tratamento das queimaduras.

19 visualizações